Sobre ADPP Moçambique

A ADPP Moçambique é uma Associação Não-Governamental Moçambicana – registada em 1982, que trabalha nas áreas da Educação de Qualidade, Saúde e Bem-Estar e Agricultura e Ambiente Sustentável.

No centro da missão da ADPP está a promoção do desenvolvimento social e económico das pessoas mais vulneráveis da sociedade, com especial atenção a crianças, órfãos, mulheres e raparigas. A nossa visão é construir um futuro melhor, onde cada ser humano, independentemente do seu género, raça, crença, nacionalidade ou origem, e estado físico ou mental, tem os mesmos direitos à vida, ao tratamento com dignidade, direito a escolha e a expressão, e a meios de subsistência seguros e de confiança para perseguir os seus sonhos e realizar plenamente o seu potencial.

A missão da ADPP baseia-se na forte convicção de que o desenvolvimento acontece no coração e na mente dos indivíduos, nas suas acções de inter-relação e nas suas acções sócio-económicas e contextos culturais. Quando as pessoas são respeitadas e auscultadas e quando são dotadas de capacidades e opções, tornam-se a força motriz das mudanças nas suas vidas.

Todos os programas da ADPP utilizam uma abordagem holística e inclusiva que coloca as pessoas no centro do seu próprio desenvolvimento. O papel central atribuído às pessoas, em particular aos grupos mais vulneráveis, é um valor fundamental da ADPP para atingir um desenvolvimento sustentável. Assim, a maior parte do trabalho da ADPP está centrada na base, trabalhando com as pessoas, para as pessoas e no meio das pessoas.

O trabalho da ADPP está totalmente alinhado com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, tal como adoptados pelo Governo de Moçambique. A ADPP trabalha para:

  • Erradicar a pobreza (SDG1);
  • Acabar com a fome (SDG2) melhorando a segurança alimentar e de rendimentos nas zonas rurais através dos Clubes de Agricultores e de Produtores;
  • Melhorar a saúde e o bem-estar (SDG3) através de programas de prevenção da tuberculose, do HIV/SIDA e da malária; e através de contribuições para transformar as más práticas nutricionais, prevenindo ao mesmo tempo a malnutrição em grupos vulneráveis;
  • Contribuir para o ensino primário universal  (SDG4), através da criação de programas de formação de professores, ensino técnico vocacional e esforços comunitários;
  • Apoiar raparigas e mulheres em situações vulneráveis e de violência baseada no género (SDG5).