Resposta Humanitária Imediata Após Idai

Vários projectos da ADPP, situados em algumas das zonas mais afectadas da província de Sofala, passaram a fazer parte dos afectados e, simultaneamente, dos primeiros a intervir e a dar resposta humanitária imediata.

A ADPP participou na distribuição de kits de abrigo, redes mosquiteiras, distribuição de sementes e instrumentos agrícolas para segurança alimentar, kits de higiene, kits de dignidade, kits de cozinha e embalagens familiares de roupa. A distribuição foi feita em colaboração com o governo local e o mecanismo de coordenação liderado pela ONU na área. A ADPP também realizou campanhas de sensibilização para a prevenção de doenças transmitidas pela água, como a malária, a cólera e a diarreia, na província de Sofala e Manica. Mais de 70,000 pessoas foram directamente assistidas como resultado destas distribuições e campanhas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on email
Email

Reconstrução das Infra-estruturas da ADPPE Vestuário

Na periferia da cidade da Beira, uma unidade de processamento e outras infra-estruturas da ADPP Vestuário foram gravemente afectadas.

Os danos sofridos nos edifícios e no vestuário em stock foram esmagadores. Em resposta, um grupo de trabalho da ADPP e voluntários de outros projectos foi organizado para iniciar a reconstrução do centro, enquanto a administração e liderança do projecto se deslocaram para outros locais para assegurar a continuação da venda de vestuário e calçado em zonas do país não directamente afectadas pelo ciclone. Os trabalhadores do centro de triagem e do Grupo de trabalho uniram-se e limparam o local, construindo áreas cobertas improvisadas, o que possibilitou o reinício da produção após algumas semanas. Quando a situação ficou estável, as equipas de liderança e administração do projecto voltaram ao seu local de trabalho, enquanto os trabalhos de recuperação continuaram durante o resto do ano.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on email
Email

Reconstrução da Escola ADPP

Quando a Escola de Formação de Professores do Futuro e a escola profissional, ambas em Nhamatanda, foram inundados, toda a população de estudantes, professores e membros da comunidade viram-se obrigados a fugir para salvar as suas vidas, deixando tudo para trás.

Imediatamente depois da constatação de que o cenário mais temido se estava a desenrolar, as equipas do Grupo de Trabalho da ADPP de Chimoio entraram em acção. Trabalharam incansavelmente nos dias que se seguiram e conseguiram levar o pessoal da escola e os alunos para um local seguro. Todos os alunos e professores afectados foram transferidos para outro centro educativo da ADPP: a Escola de Formação de Professores em Chimoio e do ensino Vocacional, em Nacala.

Quando se revelou seguro, as escolas foram limpas e revelou-se assustador ver que a água tinha atingido o tecto em alguns locais. Usando várias fontes de financiamento, incluindo da companhia de seguros e algumas doações, uma parte da reconstrução e remodelação foi executada em 2019. Antes do final do ano, os alunos puderam voltar às escolas e realizar os seus exames.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on email
Email

“COMEÇAR DE NOVO” 2,250 AGRICULTORES DO PROJECTO DO CLUBE DE AGRICULTORES

Um dos Projectos em execução no distrito de Nhamatanda apoiava 2,250 agricultores e encontrava-se na fase final de execução. Tinha contribuído para melhorar significativamente os meios de subsistência dos agricultores. No entanto, a enorme força das cheias aniquilou tudo o que se encontrava no seu caminho, o que fez com que pelo menos 75% dos agricultores e comunidades inteiras perdessem quase tudo: culturas, pertences e abrigo.

Com o apoio de alguns parceiros e amigos, a ADPP lançou a campanha “Começar de novo”, que facilitou o apoio necessário aos membros da comunidade e aos agricultores, a fim de restabelecer a sua produção agrícola e os seus meios de subsistência. Entre estes, os 2,250 agricultores que, no final do ano, relataram melhorias na sua segurança alimentar, tal como tinham começado, foram, passo a passo, recuperar os seus meios de subsistência.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on email
Email

Últimas Notícias