ADPP Moçambique integra a prevenção e mitigação das alterações climáticas em todos os seus projectos e programas

ACÇÕES HUMANITÁRIAS

+ 0
Pessoas foram directamente assistidas pós Idai
0
Agricultores apoiados pela camapnha "Começar de Novo"
+ 0
Mulheres em idade reprodutiva receberam kits de dignidade

As catástrofes catalisadas pelas alterações climáticas, serão mais frequentes, mais numerosas e terão um impacto mais devastador nas comunidades, agora e no futuro. Em 2019, o mundo assistiu a catástrofes meteorológicas extremas gravemente amplificadas, com danos consideráveis em diferentes partes do mundo. Moçambique não foi poupado.

Na sequência estas calamidades, os países e comunidades mais pobres e vulneráveis são os que mais sofrem, apesar de serem os que menos fazem para o provocar.

Para responder a esta situação, a ADPP Moçambique integra a prevenção e mitigação das alterações climáticas em todos os seus projectos e programas, sempre que possível. No caso de uma catástrofe de emergência, a ADPP trabalha lado a lado com as comunidades afectadas para prestar assistência às mesmas no sentido de recuperarem desta situação. Isto é feito em colaboração com outros parceiros. Após a emergência, a ADPP continua a trabalhar com as comunidades afectadas, o governo local e os parceiros para criar resiliência e assegurar o seu caminho para a sustentabilidade.

Em 2019, quando Moçambique foi atingido por dois fortes ciclones tropicais; o ciclone Idai, que fez aterrar na cidade da Beira e cortou um caminho de destruição através de Moçambique, Malawi e Zimbabué e, algumas semanas mais tarde, o ciclone Kenneth atingiu as províncias do Norte. A destruição, a perda de vidas e de meios de subsistência de milhões de moçambicanos mudou tudo numa fracção de segundo.

Últimas Notícias