0
Membros do clube receberam formação em boas práticas agrícolas
0
Árvores florestais, frutíferas, de sombra e forrageiras plantadas
0
Clubes formalmente registadas como associações legais

Clubes de Produtores(SUSTAIN)

Este projecto visava responder à crescente pressão das alterações climáticas sobre as comunidades em 3 distritos diferentes no Vale do Zambeze, na província de Tete.

O seu principal objectivo era promover sinergias entre os recursos naturais e as práticas agrícolas e pesqueiras, a fim de aumentar a produtividade e o rendimento dos agricultores, produtores e pescadores. O Projecto teve início em Julho de 2016 e terminou em Dezembro de 2019. Apoiou 2 000 pequenos agricultores, pescadores e 1500 colectores de produtos florestais não lenhosos seleccionados, nomeadamente baobá e mel nos distritos de Marara, Cahora Bassa e Mágoè. Os agricultores e pescadores foram organizados em 40 clubes. O projecto beneficiou cerca de 17,500 pessoas.

A introdução de práticas de gestão da água e da paisagem resistentes ao clima criou um crescimento económico sustentável para os agricultores, produtores e pescadores que participaram no projecto e criou uma sensibilização importante em geral, envolvendo instituições públicas e empresas privadas locais.

Principais resultados em  2019: Os 2,000 membros do clube receberam formação em boas práticas agrícolas, planeamento agrícola, pecuária, pesca sustentável e técnicas de conservação dos peixes; enquanto 1.500 membros da comunidade que vivem na zona tampão do Parque Nacional de Magoé receberam formação em produção de mel e recolha, transformação e manuseamento de baobás.

Dos 3,500 membros que receberam a formação regular, 64% eram mulheres e a formação incluiu o planeamento empresarial e o estabelecimento de regimes de poupança e empréstimo.

A formação combinou a prática nos domínios da demonstração e foi seguida por um acompanhamento sistemático por parte dos instrutores do projecto. Isto resultou na redução da degradação e erosão do solo (por exemplo, através da plantação de 89,000 sementes de árvores florestais, frutíferas, de sombra e forrageiras), na introdução de raças melhoradas de gado bovino e caprino e de técnicas de pesca melhoradas, contribuiu para aumentar o acesso à água para irrigação e consumo. Estas melhorias conduziram a um aumento da produção e da produtividade. O projecto também facilitou a legalização de 10 dos 40 clubes como Associações (formalmente registadas como associações legais).

O projecto melhorou a subsistência dos membros através do estabelecimento de ligações e vendas no mercado e gerou um equivalente de 100.000 dólares com a venda de mel e baobá; 82.000 dólares com a venda de produtos agrícolas e 15.000 dólares com a venda de peixe no último ano do projecto. 

O projecto contribuiu também para a promoção de parcerias e debates entre as principais partes interessadas, com vista a estabelecer uma plataforma conjunta para a gestão sustentável dos recursos naturais nos 3 distritos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on skype
Skype
Share on email
Email

Últimas Notícias