“Há que tornar o sistema de educação mais resiliente”

IMG_3109

A educação é um direito humano básico, um bem público e um pré-requisito essencial para a construção de cidadãos responsáveis e que possam contribuir para o Desenvolvimento do país. A Humana People to People, organização da qual a ADPP faz parte, há cerca de 30 anos tem de forma contínua, vindo a formar professores principalmente para as escolas primárias públicas onde são mais necessários.

No entanto, a pandemia da COVID-19 tem sido um alerta para tornar os sistemas de educação mais resistentes à crise, e mais inclusivos, flexíveis, sustentáveis e resilientes. Igualmente, demonstrou a capacidade dos sistemas para inovar, expandindo as fronteiras das possibilidades de aprendizagem; o empreendimento dos professores para assegurar a continuidade da aprendizagem; e destacou o imenso valor que a educação tem para os alunos, famílias e comunidades.

As nossas instituições de formação de professores adaptaram as suas abordagens de formação em conformidade com a emergência pandémica COVID-19. Optamos pelo descongestionamento das salas de aula, migramos para a aprendizagem virtual como medida para promover o distanciamento físico, o uso de máscaras faciais e a sanitização das mãos em momentos de medidas de isolamento relaxado por parte dos governos locais.

Recentemente, a ADPP Moçambique optou por utilizar a difusão radiofónica e televisiva na prestação de educação bilingue, através do Projecto de Alimentação Escolar, ora findo, para alcançar milhares de crianças do ensino primário em Maputo.

Em Manica a ADPP em parceria com a Word Jewish Relief (WJR), e em coordenação com o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH), com fundos da Start Fund, estão a apoiar desde dezembro último, as escolas primárias do distrito de Chimoio na criação de condições para uma retoma segura das aulas e de forma a garantir o cumprimento das medidas de prevenção da COVID-19.

Apesar das muitas iniciativas a nível microeconómico levadas a cabo em comunidades remotas, há necessidade de reforçar parcerias e acções para assumir a responsabilidade partilhada na salvaguarda da educação na sequência do ataque COVID-19 e de outras incidências futuras.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email